Bíblia Online

João7


1E DEPOIS disto Jesus andava pela Galiléia, e já não queria andar pela Judéia, pois os judeus procuravam matá-lo.

2E estava próxima a festa dos judeus, a dos tabernáculos.

3Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes.

4Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo.

5Porque nem mesmo seus irmãos criam nele.

6Disse-lhes, pois, Jesus: Ainda não é chegado o meu tempo, mas o vosso tempo sempre está pronto.

7O mundo não vos pode odiar, mas ele me odeia a mim, porquanto dele testifico que as suas obras são más.

8Subi vós a esta festa; eu não subo ainda a esta festa, porque ainda o meu tempo não está cumprido.

9E, havendo-lhes dito isto, ficou na Galiléia.

10Mas, quando seus irmãos já tinham subido à festa, então subiu ele também, não manifestamente, mas como em oculto.

11Ora, os judeus procuravam-no na festa, e diziam: Onde está ele?

12E havia grande murmuração entre a multidão a respeito dele. Diziam alguns: Ele é bom. E outros diziam: Não, antes engana o povo.

13Todavia ninguém falava dele abertamente, por medo dos judeus.

14Mas, no meio da festa subiu Jesus ao templo, e ensinava.

15E os judeus maravilhavam-se, dizendo: Como sabe este letras, não as tendo aprendido?

16Jesus lhes respondeu, e disse: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou.

17Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo.

18Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça.

19Não vos deu Moisés a lei? e nenhum de vós observa a lei. Por que procurais matar-me?

20A multidão respondeu, e disse: Tens demônio; quem procura matar-te?

21Respondeu Jesus, e disse-lhes: Fiz uma só obra, e todos vos maravilhais.

22Pelo motivo de que Moisés vos deu a circuncisão (não que fosse de Moisés, mas dos pais), no sábado circuncidais um homem.

23Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem?

24Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça.

25Então alguns dos de Jerusalém diziam: Não é este o que procuram matar?

26E ei-lo aí está falando abertamente, e nada lhe dizem. Porventura sabem verdadeiramente os príncipes que de fato este é o Cristo?

27Todavia bem sabemos de onde este é; mas, quando vier o Cristo, ninguém saberá de onde ele é.

28Clamava, pois, Jesus no templo, ensinando, e dizendo: Vós conheceis-me, e sabeis de onde sou; e eu não vim de mim mesmo, mas aquele que me enviou é verdadeiro, o qual vós não conheceis.

29Mas eu conheço-o, porque dele sou e ele me enviou.

30Procuravam, pois, prendê-lo, mas ninguém lançou mão dele, porque ainda não era chegada a sua hora.

31E muitos da multidão creram nele, e diziam: Quando o Cristo vier, fará ainda mais sinais do que os que este tem feito?

32Os fariseus ouviram que a multidão murmurava dele estas coisas; e os fariseus e os principais dos sacerdotes mandaram servidores para o prenderem.

33Disse-lhes, pois, Jesus: Ainda um pouco de tempo estou convosco, e depois vou para aquele que me enviou.

34Vós me buscareis, e não me achareis; e onde eu estou, vós não podeis vir.

35Disseram, pois, os judeus uns para os outros: Para onde irá este, que o não acharemos? Irá porventura para os dispersos entre os gregos, e ensinará os gregos?

36Que palavra é esta que disse: Buscar-me-eis, e não me achareis; e: Aonde eu estou vós não podeis ir?

37E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba.

38Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.

39E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.

40Então muitos da multidão, ouvindo esta palavra, diziam: Verdadeiramente este é o Profeta.

41Outros diziam: Este é o Cristo; mas diziam outros: Vem, pois, o Cristo da Galiléia?

42Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi, e de Belém, da aldeia de onde era Davi?

43Assim entre o povo havia dissensão por causa dele.

44E alguns deles queriam prendê-lo, mas ninguém lançou mão dele.

45E os servidores foram ter com os principais dos sacerdotes e fariseus; e eles lhes perguntaram: Por que não o trouxestes?

46Responderam os servidores: Nunca homem algum falou assim como este homem.

47Responderam-lhes, pois, os fariseus: Também vós fostes enganados?

48Creu nele porventura algum dos principais ou dos fariseus?

49Mas esta multidão, que não sabe a lei, é maldita.

50Nicodemos, que era um deles (o que de noite fora ter com Jesus), disse-lhes:

51Porventura condena a nossa lei um homem sem primeiro o ouvir e ter conhecimento do que faz?

52Responderam eles, e disseram-lhe: És tu também da Galiléia? Examina, e verás que da Galiléia nenhum profeta surgiu.

53E cada um foi para sua casa.


Tradução: João Ferreira de Almeida - Atualizadalogovp Bíblia Online

2 Comentários to " Bíblia Online "

  1. Sebastiao Dondoni Quevedo disse:

    boa tarde eu sebastiao estou cooperando aqui
    na igreja do quadrangular do Jardim Alegria
    aqui na venida ouro preto
    estou gostado muito das mensagem que está sendo pregadas está uma benção
    obrigado e A paz para vocês ai em francisco morato

    • ieqvilaantonieta disse:

      A paz seja contigo amado irmão Sebastião.

      Agradecemos a sua visita a nossa site, que Deus continue abençoando grandemente a sua vida.

      Amém!
      Pastor Zito da Silva e equipe de Fé

Deixe um comentário

Copyright © 2012 Igreja do Evangelho Quadrangular – Vila Antonieta. Todos os direitos reservados.
Design por IEQ Vila Antonieta. Powered by WordPress.
Igreja do Evangelho Quadrangular de Vila Antonieta - Ministério Tabernáculo da Fé
Rua Refinaria Mataripe, 972. Vila Antonieta. São Paulo - SP.